Thursday, July 30, 2015

.:winds of change:.

começaram a surgir os girassois. de modo sorrateiro, doce mas incisivo eles vem lembrar que os ventos estao mudando. o ar começa a ser pungente à noite, principalmente depois de um temporal. a vegetaçao começa a perder o viço trazido pela primavera e demonstra no seu amarelar e secar progressivo que precisa de tempo, precisa de descanso, precisa se reconstruir. e assim todos nos.

"life doesn't come in small doses" - eu deveria fazer uma camiseta com essa escrita. nao, o mundo nao para porque voce tem que se reavaliar. nao, os compromissos e responsabilidades nao esperam até que voce se sinta realmente pronto. nao, a vida nao vai aguardar um momento tranquilo para te dar a oportunidade de crescer. ela nao vem em doses homeopaticas, ela nao se faz gentil. ela te sacode, te joga no meio da tempestade com o teu barquinho. voce consegue ser multitarefas? que bom! nao consegue? que pena, o mar nao se vai se acalmar nem pra voce. ou se encara a tempestade, e acolhe o que os elementos tem a te acrescentar - saindo diferente da experiencia, talvez um pouco machucado, mais prudente, com certeza mais sabio -  ou voce corre pra se resguardar na cabine ou na estiva, se protege, se esconde.

Voce sempre pode se esconder, as tempestades nao duram para sempre, mas no que isso ajuda? voce nunca descobriria do que seria capaz, nunca alcançaria o teu potencial. sem crescer, sem adquirir experiencia, a unica coisa na qual voce se tornaria especialista seria em como fugir de tempestades. mas onde estaria o desafio? onde estaria a satisfaçao de navegar em meio ao temporal, ainda que queira dizer fechar as velas, esperar, sem lutar contra o mar, mas aprendendo com ele. algumas vezes nao tem muito o que possa ser feito em uma tempestade, mas nao é produtivo fingir que ela nao esta ali.

quando ela passar voce vai ter que avaliar os danos e reconstruir. mais facil ter observado como ela agia, ser mais eficiente na sua movimentaçao, poder se adaptar para enfrentar melhor a proxima, sabendo do que voce é capaz e o que pode fazer a mais quando o desafio seguinte surgir. e navegar, sempre mais longe, até perder de vista o que tinha de seguro e perceber que talvez voce se sinta melhor do outro lado. nos resta nos aventurar, e com sorte, conhecer com quem esta iniciando a viagem e chegar a um acordo de partes ao final dela.

que venham os ventos! que o outono traga mudanças e as folhas velhas caiam por terra. que as raizes se tornem mais fortes e que se possa crescer. as folhas mudam, assim é. que possamos preservar o nosso centro, saber qual ele é, e deixar que as mudanças a todo o resto aconteçam.

foto antiga, ha muitas vidas atras.

Monday, July 27, 2015

.:e se:.

O contínuo planejar, e tentar prever, projetar, se preparar, adaptar, analisar, e recomeçar numa dança infinita de ações e consequências e reações que buscam o amanhã; que se mantêm incansáveis em busca de um futuro que pode nunca chegar.

Mas, e se tentássemos só uma vez parar de colocar tudo no microscópio?  E se abandonassemos arrependimentos e expectativas só por um momento. E se estivéssemos , ainda que por pouco, imersos naquele mísero minuto. Presentes no agora. Só por uma vez.

E se a liberdade de tudo que nos detêm, nos permitisse aproveitar e realmente viver a realidade sem sombras nem sonhos. Sem os fantasmas do que foi ou os germes do que esperamos que seja.

E se naquele segundo,  ínfimo, volátil e efêmero, apenas vivêssemos?